ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMÕES   

Home | Acerca do Projecto | Quem Somos | OPINIÕES | O Lyceu   

 
 
 

Fernando Gonçalves Namora nasceu em Condeixa-a-Nova, no distrito de Coimbra, a 15 de Abril de 1919. Iniciou os estudos secundários no Colégio Camões, em Coimbra, indo depois em 1932 para o Liceu Camões, em Lisboa, onde permanece durante dois anos e é colega de Jorge de Sena.

Em 1935 volta a Coimbra, para o Liceu José Falcão, dirige o jornal académico Alvorada e escreve a sua primeira obra, uma colectânea de novelas, Almas sem Rumo, que nunca chegou a ser publicada.
Em 1937 chega a anunciar a publicação da novela Pecado Venial, o que também nunca veio a acontecer.
Casa com Arminda Bragança de Miranda em 1940, que morre de parto nove meses depois. A criança. Arminda Maria, sobrevive.
Licenciou-se em medicina em 1942 na Universidade de Coimbra, abrindo depois um consultório em Condeixa.
Em 1943, vai para as proximidades de Castelo Branco, onde passa a exercer clínica em Tinalhas.
Em 1944 casa com Isaura de Campos Mendonça e muda-se para Monsanto da Beira, onde viria as ser médico municipal substituto. Nesse ano, também realiza a sua única exposição individual de pintura.
Em 1949, é publicada a primeira série de “Retalhos da Vida de um Médico”, que iria obter o Prémio Vértice.
Em 1955 foi eleito membro da Academia das Ciências de Lisboa.
Em 1972 é-lhe atribuído o Grande Prémio SOPEM, que premeia toda a obra de um escritor médico.
Em 1977 é convidado a participar no Congresso Internacional de Escritores que se realiza em Sófia, mas não está presente pois, no mesmo dia, realiza uma conferência sobre “Camões e a Portugalidade” a convite da Comissão Nacional de Comemorações. No mesmo ano também participa no Congresso de Crítica Literária, realizado em Campina Grande, no Brasil e é completada a edição em fascículos de “Retalhos da Vida de um Médico”, que comemora o 25º aniversário da obra.
Morre em Lisboa a 31 de Janeiro de 1989.

 
 
 
  A sua Bibliografia

Prémios Recebidos